Pesquisar no blog do raposão

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

A pior de todas as dores

 

Me perguntaram aqui no blog, por que não se deve deixar uma pessoa amada ir embora, por que sempre insistir, por que sempre lutar, sempre tentar, mesmo quando tudo parece dar errado, não desistir em hipótese alguma...

Só achei um jeito de responder...

"Não há dor pior do que a dor do vazio deixado pela pessoa que se ama. Essa dor não tem fim, não passa, não diminui...

Quando se olha pro lado, mesmo tendo outra pessoa, ela não passa. Você acorda pela manhã, olha pro lado e to
dos os dias bate aquela sensação de "não é bem isso que eu queria... E o sorriso do acordar se esvai...

É a dor de se sentir sozinho, mesmo tendo outro alguém ao seu lado, mesmo estando entre 1000, 2000 ou 1000000 de pessoas...

Dói como se tivessem arrancado um pedaço de seu coração e aquela ferida que nunca cicatrizou é cutucada com sal a cada batida do coração...

E a pior parte é saber que muitas vezes a pessoa amada está ali, pertinho de você e ao mesmo tempo tão distante, separada por um vazio insuportável que parece infinito...

Depois de passar por isso, poucas pessoas tem forças para continuar vivendo... 

Ao ficar doente, a pessoa tem vontade de não lutar mais, de deixar a doença vencer, vontade de ir embora, de apenas não mais sofrer. A morte para de ser assustadora para se tornar uma amiga, uma amiga estranha, mas uma amiga... Uma amiga que pode acabar com seu sofrimento, e você se apega a ela... Alguns tem forças para resistir a essa atração pela morte, outros não...

 E caso a pessoa consiga sobreviver a isso, uma sequela visível fica: Se esquece como sorrir...

E então? Vai deixar a sua pessoa amada ir embora?"
 

Bem, acho que a pessoa que me perguntou entendeu o recado...

Imagine então se a perda de uma leva outra e você fica sem duas pessoas...